O Ministro Paulo de Tarso Vieira Sanseverino iniciou a palestra “Gestão de demandas repetitivas e o novo CPC” relatando que, um dos grandes impasses do poder judiciário é referente à gestão dos processos. Com essa afirmativa, ele estabelece o atual panorama: mais de 100 milhões de processos, em tramitação, no país.

"Nós temos um aumento crescente de toda demanda processual e um outro problema: em função de toda crise econômica, orçamentária, nós temos um contingenciamento de juízes e servidores. Cabe ao judiciário proceder a gestão para, tentar, enfrentar os seus desafios." Afirma o Ministro.

Sanseverino continua aclarando a gestão do judiciário. Ao analisar o volume das demandas, desde o pré-advento da internet: nos anos 90, eram 14 mil processos. Dez anos depois, já na era digital, 154 mil. O número continua em ascendência, segundo dados fornecidos pelo Ministro, 228 mil em 2010, com crescente ano a ano e, em 2013, chega a mais de 300 mil. Todavia, os números apontam que houve certa estabilidade entre os anos de 2016 e 2015: “Isso se deve muito ao trabalho que tem sido feito com os recursos repetitivos”.

Ao encerrar, o magistrado testemunha que o novo CPC é composto por uma codificação moderna do direito processual civil, o qual possui previsão de instrumentos para a solução de demandas. E conclui que “a preocupação é com a gestão do poder judiciário, mas nunca poderemos esquecer-nos que, em cada processo, há uma pessoa e ela espera por uma solução mais justa possível. O nosso valor maior é a procura permanente por justiça.”